<iframe src="//www.googletagmanager.com/ns.html?id=GTM-5R53WF" height="0" width="0" style="display:none;visibility:hidden"></iframe>
03 mar

Técnica de bandagem reduz dores e amplia movimentos | Projeto Mulher

A Kinesio Taping é uma técnica de bandagem elástica que tem se popularizado no auxílio de atividades físicas funcionais. Além de dar suporte e prevenir o uso muscular excessivo, ela reduz dores, inflamações e edemas, o que permite uma maior amplitude de movimentos.“Essa técnica é muito bem recebida por não ser invasiva e os benefícios são grandes”, explica a fisioterapeuta Bruna Costa, do Spa Med Sorocaba Campus, que trouxe a Kinesio Taping para o seu Centro de Fisioterapia.

 Aplicação

Os benefícios da Kinesio Taping, no entanto, podem ir além. Pela sua capacidade de otimizar a realização de vários movimentos, a aplicação de bandagens elásticas funcionais sob a pele também pode ser usada como um meio para auxiliar no treinamento de músculos fracos e na diminuição da fadiga muscular.

A aplicação dura em média 30 minutos, incluindo a avaliação e a colocação das tiras. As bandagens devem ser mantidas no local da aplicação de dois a três dias, com um intervalo de 15 dias para a repetição do procedimento.

Para mais informações sobre esse e outros tratamentos, visite o site www.spamed.com.br.

Share this
02 mar

Correr o Cruce de Los Andes em casal: experiência gratificante

Ao ouvir as histórias do Cruce de Los Andes contadas pela professora Renata Castro, do Projeto Mulher, a médica Anael Barbosa Marinho, 47 anos, não teve dúvidas: quis se preparar para participar da prova de 2013.

Para acompanhá-la nessa jornada, Anael convidou o marido, o também médico Antonio Carlos da Costa, 47 anos, o Caco, que estava sem praticar uma atividade física por conta dos afazeres do dia a dia. “Ao ouvir a minha proposta, ele aceitou na hora, e começamos a treinar focados na famosa corrida”, relembra a médica.

Preparação

Anael conta que sempre foi fã de esportes, mas o empenho para participar do Cruce a estimulou a se exercitar como nunca. “Durante 2012, melhorei muito o meu desempenho. Nos últimos meses fiz um treino específico para o Cruce, de corrida e fortalecimento muscular, orientada pela professora Renata”, explica.

Ela treinou três vezes por semana com o Projeto Mulher no Pacaembu, e os demais dias seguia a planilha – que agora pode ser encontrada no site do Projeto Mulher – feita pela professora. Ela também fez treinos de corrida nas ruas de Higienópolis e de fortalecimento muscular na academia do prédio onde mora.  O marido de Anael treinou com menor constância devido a lesões. “Entretanto, pelo fato dele ter sido atleta por muito tempo, chegamos ao final do ano na mesma frequência”, analisa.

Dificuldades

A preparação do casal compensou: “Estávamos esperando até dificuldades maiores, como temperaturas baixas e chuva, mas felizmente o clima estava ótimo, o que facilitou o nosso desempenho, apesar da prova ser muito dura e com percurso irregular”, afirma Anael, que também curtiu muito correr a prova em casal.

Cada um, no entanto, enfrentou seus obstáculos pessoais: “na primeira semana de janeiro, fomos surfar e, infelizmente, tive uma lesão ligamentar no joelho que me obrigou a ficar um mês sem treinar, fazendo apenas fisioterapia. Por isso, tive mais dificuldade nas subidas. O Caco sentiu mais as descidas, onde teve dores nos joelhos”. O uso moderado de analgésicos e Kinesio ajudaram a dupla a lidar com as dores.

Sanduíche de prêmio

Para o casal, a estrutura da prova estava bastante confortável. Dormir em barracas não foi um problema, permitiu o descanso e a recuperação de forças. “Para o Caco, a maior dificuldade foi entrar e sair da barraca, pois ele é alto e tinha que se dobrar todo, apesar das dores musculares nas pernas”, comenta Anael.

Alimentação também não foi obstáculo para a dupla, que se instruiu com a nutricionista Daniela, do Sports Lab, para a programação alimentar antes, durante e depois da prova. “Levamos suplementos diversos, frutas secas, cápsulas de sal e até um sanduíche de prêmio para o final da prova”, explica Anael, que achou a comida do acampamento farta e saborosa. “Não passamos fome em nenhum momento”, garante.

Treinar a mente

Para Anael, a prova é uma experiência pela qual todo corredor precisa passar pelo menos uma vez na vida. E dá sua grande dica: “Treinem, além do corpo, a mente. O equilíbrio emocional é fundamental para completar bem a prova. A escolha do parceiro com nível similar também é muito importante para manter a harmonia da equipe”. E, por último, aconselha: “faça uma boa programação de hidratação e de alimentação”.

Share this
24 fev

© 2014 Of Memory Hosting. All rights reserved.